Capital humano na tecnologia catarinense

São 19 mil empreendedores e 67,8 mil colaboradores no setor
de tecnologia de Santa Catarina. Capazes de promover a geração
de oportunidades em todas as regiões do estado, contribuem para
o fortalecimento do ecossistema de tecnologia catarinense.

O estado permanece com a maior composição de profissionais
atuando In Core e é destaque no percentual de colaboradores da
tecnologia sobre o total do quadro de colaboradores do estado, o que
reforça o alto grau de especialização do setor na economia catarinense.

 
view.png

O PERFIL DE QUEM EMPREENDE

542 mil empreendedores movimentam o setor de tecnologia do Brasil

A maioria dos empreendedores está atuando em São Paulo, que detém 36,4% de participação e soma cerca de 197 mil empreendedores. O Rio de Janeiro aparece na segunda posição com 50 mil empreendedores e participação de 9,2%. No terceiro lugar do ranking está Minas Gerais, com 39 mil empreendedores e 7,2% de participação no total.

Na sequência aparecem os estados do sul do país. O Paraná, com aproximadamente 28 mil empreendedores e 5,1%, fica à frente do Rio Grande do Sul (4,8%) e de Santa Catarina (3,5%). O estado catarinense soma 19,1 mil empreendedores atuando no setor.

Empreendedores do setor de tecnologia por estado

ICO3_TIMEEMCAMPO.png
3_11_empreendedores_ufs_Prancheta 1.png

Fonte: Neoway.

A maior parte dos empreendedores brasileiros
é composta por homens: cerca de 75% do
total de sócios registrados no Brasil. Além
disso, a participação deles entre 2015 e 2019
aumentou, enquanto a das mulheres caiu.

Os empreendedores estão, em sua maioria, entre os 29 e 48 anos de idade. Na mesma faixa etária se encontram as mulheres empreendedoras, com média de idade de 44 anos. Já os homens que atuam no setor têm uma média de idade de 41 anos.

Entre as mesorregiões do estado, a Grande Florianópolis conta com mais de 5,1 mil empreendedores atuando no setor, totalizando uma participação de 27,2%.

Número de empreendedores do setor de tecnologia (em mil)

3_12_crescimento_empreendedores_ufs_Prancheta 1.png

Participação por gênero no setor de tecnologia brasileiro (em %)

3_44_evolucao_genero_brasil_Prancheta 1.png

Participação por gênero no setor de tecnologia catarinense (em %)

3_44_evolucao_genero_sc_Prancheta 1.png

Fonte: Neoway.

Na sequência aparecem o Vale do Itajaí (23,3%) e o Norte Catarinense (18,5%), que juntos somam cerca de 7,9 mil empreendedores. Oeste (10,1%) e Sul
(8,6%) somam 3,5 mil.

Com menor participação, a região Serrana conta com 2,2% do total, com 426 empreendedores. 

Na distribuição por cidades, esses empreendedores atuam principalmente em Florianópolis, que conta com 4,1 mil empreendedores, em Joinville
(2,6 mil) e em Blumenau (1,9 mil).

Faixa etária e gênero dos empreendedores do setor de tecnologia

3_13_genero_empreendedores_Prancheta 1.png

Fonte: Neoway.

TECH 

REPORT

PANORAMA

SETOR DE

TECNOLOGIA

CATARINENSE

2021 

view.png
 

 

COLABORADORES DA TECNOLOGIA CATARINENSE

Com 67,8 mil colaboradores, Santa Catarina é o quarto estado com maior quadro de profissionais no setor de tecnologia do Brasil, atrás de São Paulo, de Minas Gerais e do Rio de Janeiro.


No Brasil, são 846,6 mil colaboradores atuando diretamente no setor de tecnologia. Desse total, Santa Catarina possui uma participação de 8,0%.

3_20_empregos_ufs_Prancheta 1.png

Fonte: RAIS.

Colaboradores do setor de tecnologia por mil trabalhadores formais

3_21_empregos_por_mil_ufs_Prancheta 1.png

Em termos relativos, o estado registra taxa de 28,6 colaboradores por mil trabalhadores formais, valor superior à média nacional (17,8).

Fonte: RAIS.

Entre os estados que possuem o maior número de trabalhadores atuando no setor, Santa Catarina cresceu 20,1% entre 2018 e 2019, sendo o quarto maior do país. Esse crescimento representa incremento de pouco mais de 11 mil trabalhadores no último ano.

Crescimento dos empregos do setor de tecnologia entre os dez maiores estados (em mil)

Esse resultado está acima da média
nacional, que registrou expansão de 17,1%
no número de empregos no período.

Assim, o desempenho catarinense
mostra a capacidade de geração de novas
oportunidades de negócios, ampliando cada vez mais a importância de Santa Catarina junto ao cenário tecnológico nacional.

3_22_crescimento_ufs_Prancheta 1.png

Fonte: RAIS.

No setor de tecnologia do estado, a
Grande Florianópolis concentra pouco
menos da metade dos colaboradores do
setor (46,3%). Com valores próximos,
aparecem em segundo e terceiro lugares
as regiões Vale do Itajaí (18,3%) e Norte
Catarinense (17%). Na sequência está a
mesorregião Oeste (8,3%), o Sul do estado
(6,3%) e a mesorregião Serrana (3,7%).

 

No triênio 2017-2019, o número de empregos no setor de tecnologia catarinense cresceu 29,3%. Esse resultado teve contribuição da região Serrana, que somou 1,9 mil profissionais no setor. Mesmo assim, a Grande Florianópolis manteve a maior participação em termos de empregos no período.

Em comparação com 2018, a região Serrana também registrou a maior alta ao somar mais de 1,6 mil profissionais no setor, seguida da região Oeste (43,5%) e do Sul (26,3%).

O Norte Catarinense (16,5%), o Vale do
Itajaí (14,9%) e a Grande Florianópolis (13,8%) registraram os menores aumentos no número de empregos no período.

Cerca de dois terços dos empregos do
setor no estado estão concentrados em
quatro principais cidades: Florianópolis
(39,4%), Joinville (11,2%), Blumenau
(10,6%) e São José (5,2%) que, juntas,
somam cerca de 45 mil colaboradores.

Participação dos empregos do setor de tecnologia entre as mesorregiões

3_23_mesos_sc-01.png
2_24_crescimento_colaboradores_mesos_Prancheta 1.png

Fonte: RAIS.

Também se destacam como expoentes
do setor de tecnologia as cidades de
Jaraguá do Sul (2,9 mil profissionais),
Chapecó (2,3 mil) e Lages (2,2 mil).


Em Santa Catarina, a média de idade do
colaborador do setor de tecnologia é de 33
anos. São profissionais que já possuem
experiência de mercado e que, em sua
maioria, são do sexo masculino (57,3%).


Mais da metade deles (52%) possui ensino
médio completo e 35,9% completaram
o ensino superior. Os colaboradores com
mestrado e doutorado somam 1,2%.


Entre 2015 e 2019, o número de profissionais
do setor com ensino superior cresceu 39,7%,
somando mais de 24 mil profissionais
no último ano. Já na passagem de 2018
para 2019, o crescimento foi de 9%.

Escolaridade dos trabalhadores do
setor de tecnologia catarinense 

3_24_escolaridade_sc_Prancheta 1.png

Número de colaboradores com ensino superior e participação no total

2_25_crescimento_ensino superior_colaboradores_ai_Prancheta 1.png

Fonte: RAIS.

PERFIL DOS COLABORADORES DO SETOR DE TECNOLOGIA

3_25_perfil_generos_Prancheta 1.png

Fonte: RAIS.

TECH 

REPORT

PANORAMA

SETOR DE

TECNOLOGIA

CATARINENSE

2021 

view.png
 

IN CORE: A ESPECIALIZAÇÃO DA TECNOLOGIA CATARINENSE

A transformação digital já se apresentava
como tendência antes mesmo de 2020,
contudo, o contexto de restrições físicas
acelerou ainda mais este processo.

Inseridos neste contexto, profissionais ligados
à área de tecnologia encontram cada vez
mais espaço nas instituições e em todos os
setores da economia, de modo que, com o
passar do tempo, esses colaboradores passam
a alcançar níveis maiores de especialização.

De maneira geral, os setores podem inserir tecnologia em seus produtos e serviços a partir da contratação de empresas especializadas ou a partir da contratação de equipe de profissionais qualificados.

As ocupações ligadas às atividades de tecnologia foram classificadas de duas formas: as que atuam diretamente em empresas especializadas em tecnologia, denominadas In Core, e os profissionais que atuam em empresas que não têm como foco produtos ou serviços de tecnologia, chamados In House.

De acordo com a Softex, (Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro), o profissional de tecnologia compreende as seguintes atividades da CBO.

1.236 Diretores de serviços de informática

2.124 Analistas de sistemas computacionais

1.425 Gerentes de tecnologia da informação

3.171 Técnicos em programação

2.122 Engenheiros em computação

3.172 Técnicos em operação e monitoração de computadores

2.123 Especialistas em informática

Evolução dos profissionais de tecnologia no Brasil

3_26_incore_inhouse_brasil_Prancheta 1.png

Fonte: RAIS.

Percentual de colaboradores In Core por estado

3_27_mapa_brasil-01.png

A separação destas ocupações permite
avaliar o grau de especialização dos serviços
de tecnologia. Sendo que, quanto maior
o nível de colaboradores atuando In Core,
maior a especialização da solução.

No Brasil, a atuação de profissionais de TI
em empresas especializadas em tecnologia
vem ganhando força. Entre 2010 e 2019, a
participação deles no mercado de tecnologia
cresceu 11,3 p.p, chegando a 42,7% no
último ano (cerca de 222 mil trabalhadores).

Santa Catarina se destaca pela participação
dos profissionais em empresas especializadas
em tecnologia. Apesar de ocupar o quinto
lugar no ranking estadual de número de
profissionais, o estado é o líder na disposição
de profissionais em empresas especializadas
em tecnologia, chegando a 61,5%.

Fonte: RAIS.

Além de manter posição de destaque no
cenário nacional, a tendência em Santa
Catarina é de avançar cada vez mais na
especialização das empresas de tecnologia. Na última década, o número de profissionais In Core dobrou no estado, chegando a 19 mil profissionais em 2019. Já os profissionais In House cresceram 45,6% no período.

A tendência crescente de especialização dos profissionais e das empresas de tecnologia beneficia o ecossistema de inovação do estado que conta, cada vez mais, com profissionais focados em entregas de alto padrão.

Fonte: RAIS.

tabela.JPG

Evolução dos profissionais de tecnologia em Santa Catarina

3_28_incore_inhouse_sc_Prancheta 1.png

Síntese dos Indicadores - Setor de tecnologia catarinense

sintese.JPG

TECH 

REPORT

PANORAMA

SETOR DE

TECNOLOGIA

CATARINENSE

2021 

view.png