TECH REPORT

2019 

PANORAMA SETOR DE

TECNOLOGIA CATARINENSE

Realização

Produção técnica 

Web 

LOGOTUPIX.png
logo_lagoasoft_webapplications.png

/

 

Os promotores da tecnologia catarinense

São 15,7 mil empreendedores e 51,8 mil colaboradores que contribuem para o sucesso do setor de tecnologia catarinense. 

 

Este desempenho é resultado da geração de oportunidades em todas as regiões do estado. Foram cerca de 3,2 mil novos postos de trabalho criados no ano de 2018, que ofertam, em média, remunerações 55% acima da média estadual e em especialidades de trabalho diversificadas.

 

O perfil de quem empreende

view.png

O PERFIL DE QUEM EMPREENDE

366,7 mil empreendedores

acreditam no setor de tecnologia brasileiro.

Os empreendedores brasileiros são predominantemente do sexo masculino, cerca de 73,7% do total de sócios registrados no Brasil. Estão, em sua maioria, entre os 29 e 43 anos de idade, na mesma faixa etáriase encontram as mulheres empreendedoras, com média de idade de 43 anos.

Metade desses 366 mil estão no estado de São Paulo (51,4%), em seguida Rio de Janeiro (11%), Minas Gerais (7,4%), Rio Grande do Sul (6%), Paraná (5,8%) e Santa Catarina (4,4%).

Número de empreendedores de tecnologia, % do Brasil

Fonte: Neoway.

Em Santa Catarina, os 15.794 empreendedores apresentam uma distribuição mais concentrada no quesito gênero. Três a cada quatro sócios são do sexo masculino, com predominância entre os 29 e 43 anos de idade, assim como no caso brasileiro, mas com média de idade de 41 anos. O ranking de municípios onde estão situados esses empreendedores é mais bem distribuído se comparado à distribuição nacional. Estão em Florianópolis (15,5%), Joinville (11,8%), Blumenau (8,5%) e São José (4,3%).

Fonte: Neoway.

Um terço desses empreendedores situam-se na mesorregião da Grande Florianópolis (33%), seguido de 1/4 no Vale do Itajaí (26%), 1/5 no Norte Catarinense (21%) e os demais entre Oeste (10%), Sul Catarinense (7,3%) e mesorregião Serrana (2%).

Gênero e idade 

Fonte: Neoway.

TECH 

REPORT

PANORAMA

SETOR DE

TECNOLOGIA

CATARINENSE

2019 

Conectados pelo setor

view.png
 

CONECTADOS PELO SETOR!

A REDE DE COLABORADORES

DA TECNOLOGIA CATARINENSE

Com 51,8 mil trabalhadores, Santa Catarina é o 4º estado com maior quadro de colaboradores no setor de Tecnologia do Brasil, atrás apenas de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, os três estados mais populosos do Brasil.

Com participação de cerca de 8% no cenário nacional, o setor de tecnologia catarinense possui taxa de 23,5 colaboradores para cada mil trabalhadores formais, valor superior à média nacional, de 14,5.

Colaboradores do setor de tecnologia para cada mil trabalhadores formais

Fonte: RAIS.

Na passagem de 2016 para 2017, o número de empregos do setorem Santa Catarina cresceu 1,6%, passando de 50,9 mil para 51,8 mil colaboradores. Comparado aos números nacionais, de queda de 3,2%, este resultado mostra a capacidade do estado em gerar novas oportunidades de negócios, ampliando cada vez mais a importância de Santa Catarina junto ao cenário tecnológico nacional.

Crescimento no número de empregos do setor de tecnologia entre os dez maiores estados

Empregos do Setor por Mesorregião

Este panorama favorável é resultado da força de importantes polos de inovação distribuídos no estado. Entre as mesorregiões, a Grande Florianópolis concentra o maior número de empregos do setor (51,2%). O Vale do Itajaí (18,4%) e a mesorregião Norte (17,9%) ocupam o segundo e o terceiro lugar neste ranking. Logo em seguida aparece a mesorregião Oeste (6%), com importância destacada para tecnologias do segmento agroalimentar, e o Sul (5,3%). Com menor representatividade,a mesorregião da Serra detém 1,1% do total.

Fonte: RAIS.

O PERFIL DE QUEM COLABORA PARA UM SETOR DE REFERÊNCIA

Em Santa Catarina, a média de idade do trabalhador do setor de tecnologia se situa em 33 anos. São profissionais que já possuem experiência de mercado e que, em sua maioria, são do sexo masculino (57,7%). Metade deles possui apenas o ensino médio completo e cerca de 40% completaram o ensino superior. Os trabalhadores de tecnologia com mestrado e doutorado não chegam a 1%.

Escolaridade dos Trabalhadores do
Setor de Tecnologia Catarinense Catarinense

Fonte: RAIS.

PERFIL POR MESORREGIÃO

TECH 

REPORT

PANORAMA

SETOR DE

TECNOLOGIA

CATARINENSE

2019 

In Core: A especialização da Tecnologia de SC

view.png
 

IN CORE: A ESPECIALIZAÇÃO DA TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA

Alinhada às revoluções da informação e comunicação, a transformação digital vem gerando uma série de benefícios para o desenvolvimento econômico. Além de promover a expansão da conectividade, da internet das coisas e das ferramentas de análise de dados, ela proporciona às empresas um leque de oportunidades para redução de custos, criação de novos modelos de negócios e, sobretudo, dá agilidade aos processos produtivos existentes.

Neste cenário, o especialista em tecnologia passou a se incorporar cada vez mais nas estruturas organizacionais corporativas, em todos setores econômicos. Ao longo do tempo, contudo, o aprendizado contínuo e a expertise proporcionaram oportunidades de especialização destes profissionais em empresas que atuam diretamente na oferta de produtos tecnológicos. Com isso, tais empresas conseguem ofertar serviços com qualidade e escalabilidade, tornando esta opção mais viável economicamente que a admissão de programadores e analistas internamente aos setores de comércio, agropecuária e indústria.

Para comparar esta composição, classificam-se os profissionais de tecnologia em duas maneiras, os que estão ocupados em empresas cuja atividade principal não é o desenvolvimento de tecnologia, chamados in house, e os que estão trabalhando em empresas especializadas em tecnologia, denominados in core

De acordo com a Softex, (Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro), o profissional de tecnologia compreende as seguintes atividades da CBO.

1.236 Diretores de serviços de informática

2.124 Analistas de sistemas computacionais

1.425 Gerentes de tecnologia da informação

3.171 Técnicos em programação

2.122 Engenheiros em computação

3.172 Técnicos em operação e monitoração de computadores

2.123 Especialistas em informática

Evolução dos profissionais de tecnologia no Brasil

Fonte: RAIS.

Esta terceirização de serviços, que já parece natural para diversas outras atividades, ainda é um fenômeno recente para o setor de tecnologia no Brasil. Dez anos atrás, somente 25% dos especialistas em TI estavam atuando em empresas de tecnologia, enquanto que os demais ocupavam cargos em empresas de outros setores. Este percentual, contudo, segue em movimento contínuo de evolução, chegando a 40% em 2017, dado mais recente disponível.

No caso catarinense, destaca-se o alto grau de profissionais atuando em empresas especializadas em tecnologia, sendo o único estado do Brasil que possui mais da metade das ocupações In Core.

Além de manter posição de destaque no cenário nacional, a tendência em Santa Catarina é de avançar cada vez mais na especialização das empresas de tecnologia, uma vez que, nos últimos dez anos, os profissionais in core cresceram 13,2% a.a., enquanto que os profissionais in house evoluíram a um ritmo de 6,5% a.a.

Percentual de trabalhadores In core por estado

Evolução dos profissionais de tecnologia em Santa Catarina

Esta tendência de especialização crescente dos profissionais e das empresas de tecnologia,beneficia o ecossistema de inovação do estado, que cada vez mais passa a contar com profissionais focados em entregas de alto padrão.

TECH 

REPORT

PANORAMA

SETOR DE

TECNOLOGIA

CATARINENSE

2019 

HÁ VAGAS!

view.png
 

CONTRATA-SE!

AS VAGAS DE TRABALHO DO SETOR

A evolução do setor de tecnologia não deixa dúvida do seu potencial de crescimento e geração de novas oportunidades. As empresas de tecnologia catarinenses são as mais especializadas do Brasil e crescem em um ecossistema sólido.

Entre 2012 a 2018, foram mais de 11 mil novos postos de trabalho gerados. Somente no ano anterior, o setor somou 17 mil admissões e 14 mil desligamentos, resultando em um saldo positivo superior a 3 mil trabalhadores.

Somente no primeiro semestre de 2019, já foram gerados 2.581 novas vagas, valor superior ao encontrado no mesmo período do ano anterior, de 1.924.

Evolução do Saldo de Empregos
do Setor de Tecnologia Catarinense

Fonte: CAGED.

Entre as regiões do estado, a Grande Florianópolis é a que mais gera oportunidades de trabalho. Quase 6,5 mil pessoas foram admitidas em 2018 em uma movimentação que gerou 1,2 mil novas vagas. Todas as demais regiões mostraram desempenho positivo durante o ano, destacando-se as regiões Norte e Vale do Itajaí, que chegaram a gerar cerca de 4 mil novas admissões cada uma.

Saldo de empregos entre as mesorregiões de Santa Catarina

Fonte: CAGED.

PERFIL DAS ADMISSÕES

Do total de 17 mil novas contratações, 15 mil foram de admissões por reemprego e 1,5 mil foram as primeiras admissões da carreira. O salário de admissão desses profissionais foi de R$ 2.350, valor 55% superior à média estadual dos demais setores, de R$ 1.510.

Técnicos e profissionais de informática são as ocupações mais procuradas, com cerca de um terço de todas as admissões no período. Chama atenção o percentual de profissionais com desligamentos a pedido (42%), valor que está acima da média estadual, de 32,4%

Tipo de Admissão

Tipo de Desligamento

ACOMPANHE O NÚMERO DE VAGAS ABERTAS NO SETOR DE TECNOLOGIA PARA O SEU MUNICÍPIO!

Com base na movimentação de admissões e desligamentos do setor de tecnologia catarinense, a ACATE construiu projeções estatísticas para informar o número de vagas abertas para os todos os municípios do estado.

Além de mostrar o potencial do setor de tecnologia em gerar novas oportunidades, o acompanhamento das admissões do setor de tecnologia identifica as especialidades mais requisitadas pelo mercado. Dados da SinSalarial e Enlizt informam que dos 2,6 mil desenvolvedores contratados em 2018 em Santa Catarina, mais da metade tinham como especialidades as linguagens Java (21,4%), Deplhi (16,2%) e JavaScript (14%).

Especialidades das novas vagas de tecnologia