Relevância do setor

Em faturamento, o setor de tecnologia de Santa Catarina é o 6º maior do país. São mais de 17 mil empresas no setor que faturam cerca de R$ 19,8
bilhões, o que corresponde a 4,6% do faturamento do setor de tecnologia
brasileiro e 6,1% do PIB estadual.

A eficiência produtiva corrobora o papel de destaque que a tecnologia
exerce no estado. Ocupando o terceiro lugar entre os estados mais
produtivos do setor, Santa Catarina encerrou 2020 com faturamento de
R$ 65,8 mil por colaborador por ano.

 
view.png

EMPRESAS COM HISTÓRIA

ICO_EMPRESAS.png

Evolução das empresas do setor de tecnologia catarinense

2_11_empresas_historia.png

Na fundação da ACATE, em 1986, estima-se que existiam cerca de 100 empresas dedicadas ao desenvolvimento de soluções tecnlógicas. Desde então, o número de empresas incorporadas foi crescente. 

Em 2016, o número de empresas do setor de tecnologia chegou a 9.228, atingindo 17.720 empresas em 2020.

Em comparação com 2019, quase 4 mil empresas foram incorporadas ao setor, representando um crescimento de 28,4%.

O número de empresas atuando em Santa Catarina torna o estado o sexto maior polo do país, com 4,2% do total nacional. Os três primeiros lugares deste ranking foram ocupados por São Paulo, com 169 mil empresas (40,3%), Rio de Janeiro, com 40,8 mil (9,7%) e Minas Gerais, com 36,1 mil (8,6%).

Considerando o triênio 2018-2020, o número de empresas cresceu 60,9% no estado, valor superior ao crescimento nacional, de 55,5%. Nesse período, foram fundadas 6,7
mil empresas do setor em Santa Catarina.

Essa evolução ganha ainda mais destaque quando comparada à abertura de 4,3 mil empresas durante quatro décadas e meia, desde o ano de 1966 até 2011.

O Brasil conta com 422,3 mil empresas atuando no setor de tecnologia. Cerca de 85 mil a mais em comparação com 2019, representando crescimento de 25,1% no período.

De 2015 a 2020, a expansão foi de
26,1% no país. Nesse período, os maiores crescimentos entre as UFs ocorreram em Santa Catarina (63,2%), no Paraná (39,6%) e no Amazonas (35,1%).

Considerando a média de colaboradores por empresa, o  Amazonas se destaca pelo porte de suas empresas em virtude da Zona Franca de Manaus. As empresas do estado possuem média de 69 colaboradores, ficando acima da média brasileira, de 18 profissionais por empresa. A média em Santa Catarina é de 17 por empresa, superando os demais estados do sul, mas abaixo da média nacional.

O ecossistema de tecnologia catarinense está presente em todas as mesorregiões do estado. A região da Grande Florianópolis é a mais representativa, com 32,6% do total de empresas. Vale do Itajaí (26,3%) e Norte Catarinense (19%) aparecem nasequência. Com menor representatividade, as regiões Oeste, Sul e Serrana somam 3,9 mil empresas atuando no setor (22,1%).

Número de empresas do setor de tecnologia por estado

2_12_empresas_ufs.png

Número de empresas do setor de tecnologia por UF (em mil)

2_22_crescimento_empresas_ufs_Prancheta 1.png

Média de colaboradores por empresa

2_13_media_funcionarios.png

Fonte: Neoway.

Entre 2019 e 2020, houve crescimento do número de empresas em todas as regiões.

Destaque para o Sul do estado, que teve expansão de 34,2%, com o número de empresas passando de 1.202 para 1.613.

Já o menor crescimento foi registrado no Norte (25,9%), com o número de empresas aumentando de 2.674 para 3.366 em 2020.

Empresas do setor de tecnologia por mesorregião catarinense

2_14_empresas_sc_meso_Prancheta 1.png
ICO_EMPRESAS2.png

Entre as capitais, Florianópolis ocupa o primeiro lugar com taxa de 7,4 empresas por mil habitantes, seguida de São Paulo (7,0) e de Curitiba (6,1).

Empresas por mil habitantes

2_15_empresas_mil_hab_Prancheta 1.png

Fonte: Neoway.

TECH 

REPORT

PANORAMA

SETOR DE

TECNOLOGIA

CATARINENSE

2021 

view.png
 

O FATURAMENTO DO SETOR

O faturamento total do setor de tecnologia
brasileiro foi de R$ 426,9 bilhões em
2020. Esse montante representa 5,6% do
PIB do país. São Paulo concentra quase
metade (48,4%) do total faturado, com
cerca de R$ 206 bilhões. Rio de Janeiro
(10%), Minas Gerais (6,3%) e Rio Grande
do Sul (5,4%) aparecem na sequência.

Em comparação com 2019, o faturamento
do setor no país cresceu 5,4%. Entre
os estados, os maiores crescimentos
ocorreram no Tocantins (17,6%), no
Maranhão (15,9%) e em Alagoas (15,4%).

No ranking de faturamento, Santa Catarina
aparece na sexta posição com faturamento de
R$ 19,8 bilhões. Em comparação com 2019,
o faturamento do estado cresceu 4,9%.

 

Considerando o faturamento total, o setor
representa 6,1% do PIB catarinense.

Com o surgimento expressivo de pequenas
empresas no setor, o faturamento médio
do setor de tecnologia brasileiro recuou
15,7%, passando de R$ 1,2 milhão, em 2019,
para R$ 1 milhão por empresa em 2020.

A queda foi influenciada principalmente
pelo desempenho do Amazonas
(-23%) e do Amapá (-20,4%), que
tiveram os maiores recuos no ano.

Faturamento do setor de tecnologia por estado

2_16_faturamento_ufs_Prancheta 1.png

Crescimento do setor de tecnologia por UF (em bilhões de reais)

2_23_crescimento_faturamento_ufs_Prancheta 1.png

2_17_indicadores_uf_Prancheta 1.png

Fonte: Neoway. Os gráficos apresentam os estados com maior faturamento no setor, com a omissão do Amazonas, que tem faturamento médio quase 7 vezes maior que a média nacional.

ICON_1.png

Qual o tamanho do setor de tecnologia?

5,6%

do PIB do Brasil

6,1%

do PIB de Santa Catarina 

Fonte: Neoway.

Em Santa Catarina, o faturamento médio
caiu 18,3% no comparativo 2019-2020.

Considerando o faturamento total, houvecrescimento em todas as mesorregiõesdo estado. Destaque para o Sul, queteve expansão de 6,5% de 2019 para2020, e para o Vale do Itajaí, cujofaturamento total cresceu 5,8%.

A Grande Florianópolis concentra quasemetade do faturamento do setor (42,5%)e apresentou crescimento de 4,1%em relação a 2019.

Na sequência de maiores participações aparecem o Vale do Itajaí (22,7%) e o Norte Catarinense (17,2%). A região Serrana detém a menor fatia desse total (3,1%), com R$ 606 milhões de faturamento.

Faturamento do setor de tecnologia por mesorregião

2_18_faturamento_sc_meso_Prancheta 1.png

Fonte: Neoway.

PRODUTIVIDADE

Considerando a razão entre o faturamento
anual e a média de colaboradores por
empresa, a produtividade do setor de
tecnologia de Santa Catarina é a terceira
maior do país entre as UFs avaliadas. A
receita das empresas catarinenses por
trabalhador é de R$ 65,8 mil, superando
a média brasileira de R$ 56,2 mil.

Entre os estados com maior faturamento
médio, a produtividade do setor de
tecnologia de Santa Catarina recuou 18,3%
em comparação com 2019. No Brasil
houve queda de 15,7% no período.

 

Este movimento está ligado à expansão
do número de pequenas empresas e startups, o que fez reduzir o faturamento médio do setor.

Produtividade do setor de

tecnologia por UF

(em mil reais)

2_19_tamanho_produtividade_Prancheta 1.png

Fonte: Neoway.

ICON_2.png

Polos de tecnologia

Algumas cidades também se destacam
pela produtividade no setor de tecnologia.
Considerando a média de faturamento e de
funcionários das empresas, Florianópolis
ocupa o segundo lugar do ranking de
eficiência produtiva. Apesar da importante
colocação, a produtividade da capital
catarinense caiu 18,9% em relação a 2019.

Entre os municípios do Brasil, Recife se
destacou como sendo o mais produtivo
no setor, mas seguiu o cenário de queda
observado na passagem de 2019 para 2020.

Produtividade no setor de tecnologia por município

(em mil reais)

2_21_polos_produtividade_Prancheta 1.png

Fonte: Neoway.

ACATE e a produtividade dos associados

A representatividade da ACATE e seus resultados continuam positivos, especialmente no que diz respeito à produtividade das empresas associadas em comparação com as demais empresas do setor. Considerando o faturamento por trabalhador, a produtividade das associadas é cerca de três vezes superior às demais.

De modo geral, enquanto a produtividade das empresas do setor de tecnologia é de R$ 66 mil ao ano por colaborador,
as associadas somam R$ 208 mil por colaborador, aumento que se repete em todas as mesorregiões do estado.

Produtividade dos associados ACATE nas mesorregiões (em mil reais)

2_20_acate_produtividade_Prancheta 1.png

Fonte: Neoway.